Estatísticas sobre economia, demografia, geografia e às vezes alguma coisa mais!

Francisco Beltrão atinge 11° melhor qualidade de vida do estado, mas ainda tem muito a melhorar


Um dos mais completos índices que mede a qualidade de vida e o desenvolvimento das cidades, o Índice Firjan de Desenvolvimento Humano – IFDM – mostra que a qualidade de vida em Francisco Beltrão melhorou muito em apenas cinco anos. O índice que é calculado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, tem formato semelhante ao do IDH, indo de 0 a 1. Quanto mais perto de 1, mais desenvolvido é o município. Para obter o índice são feitas ponderações em três áreas de análise: Emprego e Renda, Educação e Saúde.

Para analisar Emprego e Renda a metodologia leva em conta a Taxa de Geração de Emprego formal sobre o Estoque de Empregados e sua Média trienal; Saldo Anual Absoluto de Geração de Empregos; Taxa Real de Crescimento do Salário Médio Mensal e sua Média Trienal; e, Valor Corrente do  Salário Médio Mensal.

No caso da educação são levados em conta os seguintes fatores: Taxa de Atendimento no Ensino Infantil; Taxa de Distorção Idade-série; Percentual de Docentes com Curso Superior; Número Médio Diário de Horas-Aula; Taxa de Abandono Escolar; e, Resultado Médio no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.

Já no item Saúde o índice analisa a Quantidade de Consultas Pré-Natal; Taxa de Óbitos Mal-Definidos; ,Taxa de Óbitos Infantis por Causas Evitáveis.

O mérito do IFDM sobre o IDH é que ele trabalha com muitos índices produzidos exclusivamente para o Brasil, muitos dos quais são qualitativos, como por exemplo o IDEB. O IDH sofre uma série de distorções por levar em conta índices que pouco significam, como a taxa de analfabetismo por exemplo. Um índice quantitativo que pouco diz a respeito da qualidade da educação de uma localidade. Além disso o IDH foi formatado a nível mundial, mal adaptado para o caso Brasileiro (principalmente o IDH-Renda) e leva em conta poucos índices no cálculo.

O IFDM foi divulgado como tendo ano-base 2005. Mas também foi calculado um índice com ano-base 2000, para efeito de comparação.

Nesta escala nosso município atingiu 0,824 (2005), mostrando grande evolução em relação a 2000, quando havia obtido 0,640. Em termos relativos Francisco Beltrão atingiu o 11° lugar no estado e o 140° no país. No ano-base 2000 o município havia alcançado apenas a 142° posição no estado e a 1042° no país. Foi a melhor colocação de um município do Sudoeste do Paraná.

Chama atenção também a grande evolução entre os dois índices. De fato FB foi, dentre os 399 municípios do Paraná, o 13° que mais melhorou sua colocação, com evolução de 28,1% na sua nota. Dentre os três quesitos analisados aquele que mais contribuiu para o crescimento foi Emprego e Renda, saltando de 0,385 em 2000 para 0,782 em 2005, graças principalmente o fato do município ter sido líder estadual em geração de emprego no período compreendido entre as duas publicações.

No quesito educação FB subiu mais modestamente, saiu de 0,740 em 2000 para 0,784 em 2005 e no quesito Saúde subiu de 0,805 para 0,905 entre as duas pesquisas.

Baseados nos resultados podemos concluir que realmente a evolução na qualidade de vida de Francisco Beltrão foi significativa no período, sobretudo na parte economica do município onde ocorreu um verdadeiro salto. Podemos concluir também que a parte educacional é a que mais necessita de atenção, pois é onde o município vem tendo maior dificuldade de evoluir. Prova disso já foi o IDEB onde o índice do município foi um dos que menos cresceu na região, respaldado agora pelo IFDM.

Dificilmente o município repetirá uma evolução tão forte no próximo IFDM (que deverá ter ano-base 2006 ou 2007), pois desde 2005 a geração de empregos vem sofrendo uma desaceleração (normal dado o intenso ritmo do triênio 03-05) e já está abaixo do nível observado em outras regiões do estado. Também a educação básica também vem evoluindo lentamente (evolução do IDEB abaixo de outras cidades).  Acredito todavia que no médio prazo ainda haverá uma certa melhora no índice do município puxado pela média salarial (peso 50% no IFDM-Emprego e Renda), que deverá sofrer uma boa evolução dado o alto estoque de empregos e os novos investimentos no município (HR, CDR, Unisep, UTFPR, empresas privadas, etc.), bem como pela evolução mais lenta dos outros dois componentes, Saúde e Educação, o que ainda assim não deverá ser o suficiente para manter FB entre os 15 municípios mais desenvolvidos do estado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s