Estatísticas sobre economia, demografia, geografia e às vezes alguma coisa mais!

Massa Salarial de Beltrão cresce 15,2% entre 2005 e 2006


Dados da Estatística do Cadastro Central de Empresas 2006 divulgados na última sexta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indicam que entre os anos de 2005 e 2006 a Massa Salarial Formal do Beltronense (soma dos salários percebidos por todos os cidadões do município, formalmente registrados) elevou-se em 15,15% entre os anos de 2005 e 2006 (valor já descontado os 4,72% da inflação conforme o deflator implícito do PIB de 2006). O resultado foi cerca de 1,7 p.p. acima da média do obtido pelos 30 municípios com a maior massa salarial.

Em 2006 os foram pagos aos beltronenses, salários no total de R$ 162,996 milhões ante R$ 135,977 milhões recebidos no ano anterior. Este valor foi suficiente para postar o município como o de 24° maior massa salarial do estado do Paraná, mesma posição do ano anterior.

Todavia não foi suficiente para dar o primeiro lugar da região. Pato Branco fechou 2006 no 23° lugar estadual com massa salarial apenas R$ 280 mil superior a beltronense, diferença inferior a 1% entre os dois municípios. Em 2005 Pato Branco havia auferido rendimento de R$ 139,273 milhões e passou para R$ 163,276 no ano seguinte, elevação real de 12,51%.

EMPREGOS

A pesquisa também reiterou outros dados já conhecidos anteriormente. Segundo ela, entre 2005 e 2006 Francisco Beltrão ganhou 1 012 novos empregos formais (+6,2%), e fechou o ano com estoque de  17 248 empregos formais. Pato Branco fechou o ano com 15 052 empregos formais, 835 a mais que no ano anterior e variação positiva de 5,9%*.

Todavia um dado relevante trazido pela pesquisa é que o beltronense percebe rendimentos médios de R$ 9 450 ao ano. É um dos valores mais baixos entre os 30 municípios com as maiores massas salariais. Somente 4 registram valores inferiores aos de Beltrão. O município de Curitiba, por exemplo, registra valor médio de R$ 18.720 por empregado.

Embora o dado pareça muito ruim, existem certas distorções que devem ser levadas em conta. O nível de formalização do salário em Curitiba é maior que em Beltrão, ou seja, os salários pagos na capital geralmente correspondem ao anotado na carteira. Já em Beltrão é muito comum a cultura de pagar uma parte do valor “por fora” em forma de comissões e outros acordos. Este fator deve certamente ter influenciado os resultados, ajudando a puxar o valor de Beltrão pra baixo.

EMPRESAS

A pesquisa também informa que existiam, em 2006, 4 266 unidades empresariais registadadas no município, eram 143 a mais que o número anotado no ano anterior. Cada empresa possuía, em média, 4 empregados.

A pesquisa completa do IBGE está disponível no link abaixo:

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1253&id_pagina=1

* É necessário ressaltar que existem diferentes modos de se medir o número de empregos por município, e por isso ocorrem pequenas diferenças entre os números divulgados. Os resultados considerados aqui foram baseados no CEMPRE do IBGE, conforme consta na metodologia da pesquisa. Outros métodos comumente referidos aqui neste blog são o CAGED/MTE divulgado mensalmente, e a RAIS divulgada anualmente.

Nota: O estudo leva em conta apenas os funcionários com vínculo empregatício ativo, portanto desconsidera salários de aposentados e pensionaistas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s