Estatísticas sobre economia, demografia, geografia e às vezes alguma coisa mais!

O melhor e o pior de 2010


Com o ano acabando, vale a pena fazer uma retrospectiva do melhor e do pior do ano em 2010.

Expansão do Ensino Superior: O melhor, sem dúvida, foi a conquista de medicina, fruto de uma união incrível de todas as correntes políticas do sudoeste, que fizeram acontecer. O curso ainda vai demorar um pouquinho pra se transformar em médicos para a região, mas tudo está caminhando, e até depressa. Um curso público de medicina tem um valor muito grande para nossa cidade.  Vale também lembrar os vários cursos que a Unisep está preparando para ano que vem, inclusive Odontologia, outra jóia preciosa. Por isso, podemos dizer que em 2010, o ensino superior foi elevado a outro nível aqui em beltrão. Nota Dez.

Ensino básico: Vale também lembrar o excepcional desempenho do município no IDEB. Fui crítico do desempenho pífio em anos passados. Mas o resultado do Prova brasil 2009, que foi divulgado em 2010, foi muito bom. Por isso vai aqui um elogio daqueles para a Secretaria Municipal de Educação. Só não leva um dez porque os professores da rede municipal ainda ganham pouco. 900 e poucos reais por turno. Deveria ser pelo menos o dobro. Quatro anos de faculdade de pedagogia e aguentar crianças cada vez mais mal educadas merecem mais que isso. Nota oito.

E o pior…

Urbanismo: Não tem como não dar uma nota baixa pro Urbanismo de beltrão. Ruas deformadas, calçadas de paver que estragam rápido (as da Júlio Assis são minas terrestres que espirram água), buracos que aparecem por todo lado (lembram da bananeira no meio da rua do fórum), falta de planejamento para o trato da questão da arborização da cidade (que é muito deficiente). Beltrão merece algo melhor e mais profissional. Talvez com a troca de secretário, a coisa ande um pouco mais diferente, talvez outros motivos tenham impedido um melhor desempenho este ano, mas fato é que em beltrão as obras públicas de urbanismo são feitas na coxa. É uma coisa tão porca e relaxada que envergonha. Uma cidade que pretende ser um dia de primeiro mundo, precisa aprender a fazer obras com qualidade idem. Vão para a Alemanha, pra França, pros Estados Unidos ver como se cuida do espaço público. Com certeza não é com ruas tortas, desniveladas, calçadas deformadas, arborismo ao Deus dará. Nota três.

Ah, e claro:

O DEBETRAN.

Sinalização? Talvez um três. Se preocupam com o centro, mas abandonaram os bairros, principalmente a Atílio Fontan e toda a cidade Norte.

Faixa azul? Sete. O serviço funciona relativamente bem, e fora um caso ou outro o serviço é bom. Uso todo dia e jamais tive problemas com os guardas.

Fiscalização? Zero. Não tem como dar nota para algo que não existe. Isso mesmo. Você, beltronense de 16 anos de idade que quer andar de carro pela cidade, fique a vontade. Se você não atropelar nem bater em alguém, você vai morrer de velho e não vai ser incomodado pelo Debetran. Talvez pela polícia, mas mesmo está ultimamente abandonou tal função. O mesmo digo pra sinal vermelho. Fure o sinal a qualquer hora do dia, ninguém jamais vai te multar.

Transparência? Zero. Ocultam estatísticas negativas, criam análises fantasiosas de “melhorias” no trânsito, e ainda mandam dizer que 100% das pessoas aprovam as mudanças. Chega a ser patético.

Planejamento? Zero. Só olhar pra bizarrice que é o trânsito de Beltrão. Parece uma colcha de retalhos de “soluções” onde cada coisa que muda cria problemas na esquina seguinte, e o geral é tão ruim quanto inexplicável.

Conhecimento das normas de trânsito? Dois. Quebra molas de 20 cm de altura e meio metro de extensão, Pelo amor de Deus, quanta falta de bom senso.

Organização geral do trânsito? Zero. Qualquer morador da cidade, aleatoriamente escolhido, faria melhor.

Sem brincadeira. É difícil uma cidade no Sul do Brasil que tenha piorado tanto o trânsito em tão pouco tempo. Por isso Debetran leva o hors Concours do pior em Beltrão hoje. Superou até o fiasco do Francisco Beltrão Futebol Clube. Aliás, eu prefiriria assistir toda semana o VT daquele clássico rídiculo com o Pato Branco, do que andar no trânsito desta cidade. Mas o trânsito está aí. Ninguém pode fugir dele.

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s